Duas semanas atrás fiz uma fala no evento do CGI sobre desinformação em que apontei que a radicalização política no YouTube não é bug, é feature, ou seja, pode ter surgido inadvertidamente, mas se tornou parte da fórmula. Bom, é mais ou menos esse texto aí.

Frank Pasquale
“The video platform for years has incentivized such content through algorithms favoring sensational videos, and, as recent reporting has revealed, has deliberately ignored toxic content as a growth strategy.” cc @gaywonk https://t.co/wxYi404xDH
“A far-right child comedian threatening to murder the executive of the video site that has made her famous, for trying to protect her from pedophiles: the state of YouTube in 2019.” https://t.co/Gv6Y0cZCGx Viveka 🥚 ☯
tweet

#corrupto https://telegra.ph/Dos-286-funcion%C3%A1rios-do-cl%C3%A3-Bolsonaro-13-t%C3%AAm-ind%C3%ADcios-de-que-n%C3%A3o-trabalhavam-08-05

As pessoas dão seus dados não porque consideram que o benefício que obtém em troca vale a pena, mas por resignação, por sentirem que isso é impossível de deter e que não têm poder para desafiar esse processo https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2820060

#corrupto https://www.gazetadopovo.com.br/vozes/lucio-vaz/bolsonaro-cartao-corporativo-presidencia/

“Roy sighs. Once, The Daily Argus had fact-checkers, copy editors, legal advisers. Those people are gone now, and in their place there’s the Farm: a virtual machine populated with copies of a few trillion different bots.”

Caso hackers atropela apuração de uso eleitoral do WhatsApp: ‘Muito lento’ – 01/08/2019 – UOL Notícias
https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2019/08/01/investigacao-disparos-whatsapp-fakenews-eleicoes-spoofing-policia.htm