Os novidadistas pregando o fim do trabalho talvez não percebam que, quando falamos em trabalho, falamos sempre em trabalho alienado – ninguém se refere à hortinha que planto em casa, à mera atividade humana. E que o trabalho até aqui se expandiu, avançou (no quanto toma da vida, ie, da liberdade) ao lado da automação. Porque a chave é mesmo essa: “alienado”. As relações de trabalho são as relações de sujeição admitidas com o fim da escravidão. A automação não nos fará livres – nem desocupados – porque não somos os donos dela. Muito pelo contrário, é um processo verticalizante. Se não tivermos nada de útil para fazer, seguiremos trabalhando na construção da nossa própria sujeição – e na dos outros. Vide bulshit jobs do Graeber, etc.

https://twitter.com/stedile_mst/status/1126112178472411141

A @cryptorave começa amanhã, e isso você já sabe.
O que vc ainda não sabe é que esse ano propusemos a mesa (roda de conversa) “A Ideologia Californiana e o capitalismo de vigilância: 24 anos depois, a distopia é real?” no sábado, 4/5, às 16h10, no espaço Ian Murdock, 1º andar da Biblioteca (Hemeroteca). Apresentamos assim a atividade:

Hoje considerado um clássico da tecnopolítica, “A Ideologia Californiana” é o guia para esta mesa discutir o cenário atual do capitalismo de vigilância e das megacorporações que cada vez mais dominam a internet. Para isso, participam da mesa:
_ Aracele Torres, Doutora em História pela Universidade de São Paulo (USP), atuando na área de História da Ciência e da Tecnologia e desenvolvendo trabalhos sobre história da tecnologia digital, software livre, ciber-libertarianismo, ideologias e utopias relacionadas às tecnologias da informação;
_ Camila Montagner, jornalista e pesquisadora, doutoranda em Ciências Sociais na Unicamp;
_ Tiago Soares, doutorando em História Econômica pela USP, mestre em Divulgação Científica e Cultural pela Unicamp;

A mediação é do editor do BaixaCultura, Leonardo Foletto. Tentaremos registrar a conversa em áudio, depois avisamos todxs. Aos que estiverem lá, cheguem mais!

De canais telegram a blogs

O primeiro recurso da plataforma está em fase de testes, mas já bastante funcional: um bot que lê canais de telegram e alimenta blogs (criados gratuitamente na plataforma, mas posteriormente hospedados onde quer que seja, por quem quer que seja, com a publicação do nosso plugin de wordpress).

Os dois primeiros canais inscritos são:

http://caramurivis.plataforma.cc
e
http://monolipe.plataforma.cc

Estamos abertos para mais interessados – basta entrar no grupo telegram – t.me/plataformacc – para receber as informações. O usuário tem acesso ao seu wordpress com todos os recursos disponíveis, e pode tanto editar os posts importados do telegram quanto criar conteúdo diretamente no blog.

Os próximos recursos serão na direção de transformar o wordpress, através de um plugin, em um tipo de rede social descentralizada, com timeline gerida de forma completamente autônoma. Nos próximos meses isso já deve entrar em fase experimental.